Arena Corinthians - SP / by Erwin Galtier

EM DETALHES  A OBRA DA ARENA CORINTHIANS

corinthians.PNG

Sede da abertura da Copa de 2014, a Arena Corinthians tem arquitetura sóbria, definida por dois blocos unidos pela cobertura , que, iluminada por baixo, parece flutuar. Mas a aparente simplicidade resulta da aplicação de tecnologias sofisticadas, que FINESTRA mostra em detalhes e em primeira mão, nesta e nas reportagens seguintes.
o sonho de ter um estádio próprio era antigo. As tentativas
foram muitas. quatro projetos elaborados desde 1997
para o Sport Club Corinthians Paulista. Mas maio de 2011 foi o marco inicial da edificação do sonho: enfim. a arena do Corinthians começava a ser construída.
Concebido em 2010 sob a premissa de que todo torcedor deve ser tratado como igual dentro do estádio. o projeto arquitetônico  do escritório CDC Arquitetos,  em parceria com DDG Arquitetura, foi o escolhido entre participantes de um concurso privado. De acordo com o arquiteto Aníbal Coutinho, do COCA, "ele foi pensado a partir da máxima de que o Corinthians não é um time que tem uma torcida, mas uma torcida que tem um time".
O clube contratou a empresa Comperio Research, da international Stadium Group (ISG]. da Inglaterra, para mapear sua torcida. O resultado mostrou que o Corinthians tem o maior número de torcedores da classe A de São Paulo. Como é um time popular, a  intenção era que a classe A subsidiasse os ingressos para a maior parte do público.
Com isso, 114 do estádio subsidia para 314. "O Corinthians vai
ter uma política de ingressos com excepcional qualidade para todas as faixas de renda  O acabamento de todas as áreas do estádio é igual. a diferença está na visibilidade do campo e na qualidade dos serviços oferecidos. Essa foi
a maneira encontrada para distribuir internamente a renda, construindo os lugares mais baratos com a mesma manutenção e conforto dos mais caros''. diz o arquiteto. 
Com base nos dados da pesquisa. o escritório de
arquitetura examinou durante quase dois anos os extratos e o comportamento  da torcida, para chegar às características  de uso e apropriação do estádio  pelo público. Vários  pontos  foram  analisados  para  adequar os setores a cada tipo de torcedor  O clube também apresentou  uma  pesquisa de  mercado indicando a quantidade e o potencial de vendas que a arena tem, a necessidade de espaço de eventos e o que ele poderia gerar para a região. O mapeamento  foi importante  para tornar  o  equipamento  sustentável  financeiramente.
O ingresso é menos que 50% da receita do time, o restante vem de ações  de  marketing. mídia eletrônica. alimentação.  estacionamento  e eventos variados. A ssim, o estádio foi planejado para ser multifuncional. tendo
cerca de 50 mil metros quadrados de área construída destinada a eventos . É possível fazer 50 eventos

simultâneos, exceto no gramado, mas utilizando áreas vips. estacionamentos e corredores. A maior parte dessas áreas encontra  se no bloco oeste. o princ pai O segundo piso de garagem, por exemplo. foi configurado para abrigar feiras e exposições.

GEOMETRIA FUNCIONAL
O arquiteto lembra que a idéia era fugir do lugar-comum, com um desenho mais evolutivo. sem repetir
soluções passadas. O formato  retangular aproxima o público do campo e privilegia a visibilidade de todos os lados  O estádio possui quatro setores - norte.
sul. leste e oeste -. dois estacionamentos abertos. estacionamentos subterrâneos e áreas de serviço.
Sua capacidade é de 48 mil pessoas sentadas, número que aumentará para 68 mil durante os jogos da Copa.
com a instalação de arquibancadas provisórias.
patrocinador do clube,àreas de alimentação e lojas,setores vips,instalações para a impresa,vestiários,acesso ao campo de futebol e estacionamento subterranêos
Os blocos norte e sul possuem um grande vão
livre protegido por cobertura metálica suspensa a 38 metros. Com isso foi possível aproveitar a brisa dominante. privilegiando o público nas arquibancadas
e auxiliando na ventilação do gramado. A capacidade de cada um desses setores é de 7 mil assentos.
Para a Copa foram instaladas as arquibancadas provisórias. com 10 mil lugares em cada setor.
O estádio  está  no nível da avenida  Radial Leste. por onde se dá o acesso de veículos. na face norte, aos estacionamentos no subsolo. Pela avenida Miguel lgnácio Curi ocorrem os acessos nos setores leste e oeste
de veículos - para os estacionamentos abertos - e de pedestres. estes vindos a partir das estações de metrô Arthur Alvim e Corinthians itaquera . Os setores leste e oeste terão três entradas para as arquibancadas e áreas vips. Norte e sul terão um acesso para cada lado.
 A geometria também possibilitou a criação de varandas acessíveis ao público a qualquer momento. localizadas no setor leste. São quatro varandas grandes e duas plataformas por onde chegará a torcida organizada  Na quina entre os setores leste e sul encontra-se uma arquibancada com 2 mil lugares para a torcida rival. As grades de ferro em geral utilizadas para separar os setores foram substituídas por guarda-corpos e divisórias de vidro de segurança extra clear produzidos pela AGC. na França. e instalados pela T2G.
No setor oeste. em menor escala. também  existem varandas. Além delas, é possível assistir ao jogo através de telões nas áreas de alimentação. banheiro  e corredores
No total. serão 3.7 mil telas de alta definiçào. O setor tem a entrada principal marcada por uma fachada de vidro curvo,setores de bilheteria, atendimento ao consumidor,loja do clube
FATORES TÉRMICOS
Os autores buscaram uma arquitetura o mais sóbria e mínima possível num estádio  "Utilizamos poucos materiais e aproveitamos a translucidez para dar uma imagem etérea à arena; iluminamos a cobertura por baixo, criando um
efeito de flutuação dos arcos metálicos apoiados em duas caixas com frontais de vidros  translúcidos serigrafados, que bloqueiam parcialmente a incidência solar mas permitem a entrada de luz natural. otimizando o consumo energético". detalha o arquiteto   O projeto arquitetônico tirou partido do desnível de 45 metros do terreno. enterrou parte do estádio e deixou o campo exatamente no nível 777
- número de sorte do Corinthians De acordo com Coutinho. parte das fachadas está enterrada no solo e paralela
a ela foi construída uma parede de pedra equidistante sete metros do corpo do edifício. Esse vão funciona como um túnel de ventilação que circunda o estádio.
Os estudos diários sobre a incidência solar determinaram a posição dos setores e o sombreamento adequado para o gramado.Com isso,o Prédio oeste tem 14 andares e o
leste. cinco A diferença de altura. associada à cobertura inclinada no lado oeste. promove sombreamento no volume menor e em boa parte do campo em determinados horários, beneficia a ventilação e funciona como proteção acústica para as habitações que estão no entorno.

"O formato do telhado, alusivo à asa de avião, favorece a ventilação interna. porque capta o ar que entra e o
empurra para as arquibancadas . No tocante à acústica. ele reflete o som para dentro do estádio, amplificando o barulho da torcida sem deixá -lo ir para fora. Os estudos de acústica foram elaborados para que se obtivesse pouco ruído para fora e muito ruído para dentro, o
que para a torcida é muito bom", explica Coutinho.

Para o fechamento e o acabamento da cobertura. foram utilizadas quatro camadas de membranas fornecidas pela Firestone: a primeira é a Oeck metálico, com espessuras de 65 e 80 milímetros; a segunda. ISO. e a terceira. Oens-Deck. são termoacústicas e regularizadoras; e a última é a UltraPlay TPO, de fechamento. Trata-se de um termoplástico
de poliolefino flexível composto com a incorporação de
uma borracha de etileno propileno dentro de uma matriz de polipropileno. Fabricada em duas camadas por extrusão e reforçada com tecido. segundo Coutinho. "essa membrana tem vida útil grande, além de garantir a absorção parcial
do som e o retorno do excedente para dentro do estádio".

O projeto atende às questões de sustentabilidade utilizando soluções e tecnologias para garantir o uso racional de recursos naturais, economia de água ,
aproveitamento da água da chuva. diminuição e reciclagem do lixo gerado. otimização do uso de ar-condicionado. fachadas com eficiência energética, luz e ventilação  naturais. "Pé-direito alto. pouca entrada de calor. dupla parede. canais de refrigeração em volta das garagens, cores claras para refletir a luz são itens que beneficiam
a climatização e o conforto térmico no interior, na ausência do ar-condicionado. Este. por sua vez, instalado em todo o estádio, refrigera apenas as áreas que estão sendo utilizadas pelas pessoas. Tudo isso auxilia na redução do gasto energético". afirma Coutinho.
Padrão dos campos de golfe
Sob a premissa de ter o melhor gramado do mundo na Arena Corinthians, a World Sports desenvolveu um projeto exclu­sivo. utilizando grama de inverno aplicada num país tropical com o mesmo padrão adotado para os campos de golfe. O sis­tema de resfriamento
e irriga­ção com acionamento remoto  foi projetado pela empresa em parceria com a norte-ameri­cana SubAir e a irlandesa CRL. segundo o diretor da World Sports Roberto Gomide.
O sistema de refrigeração Hydronic. da SubAir. consiste em duas formas de resfriamento - por água e ar gelados.
A água gelada sai dos chillers
- os mesmos utilizados para o sistema de condicionamento do ar . e percorre 34
quilôme­tros pelo sistema de serpenti­nas instalado a 25 centímetros da superfície do campo. fazen­do a troca de calor. O ar gelado é injetado também pelo chiller e chega até as raízes e folhas.
Nos dias de inverno e chuva , o Hydronic é desativado e um outro sistema de drenagem a vácuo e insuflamento de ar é acionado para sugar a água do campo, explica o engenheiro agrônomo Fábio Câmara. diretor técnico da World Sports. Ao mudar a rotação do motor do sistema , é possível injetar ar no gramado para aumentar a oxigenação das raízes, pro­movendo crescimento radicu­lar maior da grama.

Para a colocação do gramado. primeiro foram criadas cana­letas para receber
a tubula­ção do sistema de drenagem e
insuflamento do ar. Depois foi aplicada
uma camada de dez centímetros de britas e so­bre ela foi instalado o sistema Hydronic. Na sequência, vie­ram uma camada de 20 cen­tímetros de are
ia compactada e por último uma de dez centí­metros de areia com substratos para fazer o plantio da grama.A grama de inverno tem raiz axial, não
ramificada, diferente da tradicional grama Ber­muda, cujas ramificações e rizomas deixam a planta mais resistente. facilitando a sua recomposição. A gra ma de inverno precisa ter sua semen te pla ntada para fazer a reposi­ção. Por isso. as sementes são pré-germinadas e
constante­mente se faz a semeadura do gramado. ·Apesar de os cuida­dos serem maiores. a grama de inverno permite que a bola role mais velozmente, cresce mais rápido e estetica mente é mais bonita ... explica o arqui­teto Aníbal Coutinho.

Segundo o gerente de contra­tos d a World Sports. And ré Os­ temeyer. para tornar a grama mais resistente foi
utilizado o sistema de ramificação artificial Grass Master. Trata-se de u m feixe de fibras sintéticas. disposto a cada dois centíme­tros, injetado por uma máquina dentro do gramado pronto
para que a raiz da grama se interlace nessas fibras. Com isso. a re­sistência do gramado aumenta quatro vezes.
SHOWROOM DE ACABAMENTOS
Os acabamentos são todos em preto e branco. em referência às cores do time. No vestiário dos jogadores haverá uma banheira fabricada na Itália. as paredes e pisos serão revestidos com mármore grego. tapete francês. carpete inglês. granito e porcelanato. As fachadas envidraçadas
leste e oeste receberam molduras de chapas porcelânicas. e as faces norte e sul de ambos os blocos foram totalmente revestidas com o material. Produzida na Espanha pela empresa Levantina. a chapa técnica porcelânica Techlam. segundo Meirinaldo Orlandine. diretor comercial nacional da marca no Brasil. diferente de outras chapas. é fundida à temperatura de 1.240 graus. tornando-se mais resistente.
São painéis de cinco milímetros de espessura. com uma tela especial de reforço de poliuretano colada na própria placa durante a fabricação. Essa rede confere mais segurança. evitando que a placa se rompa em caso de forte impacto.
Responsável pelo projeto executivo e instalação das chapas. a empresa GMM desenvolveu o sistema de fixação do revestimento composto  por perfis de alumínio colados com silicone estrutural na chapa. estrutura secundária e ancoragens de aço inox. Na fachada leste,as placas na cor preta possuem duas larguras  três metros e 1,90 -. mantendo a altura de um metro para ambas. Seguindo a inclinação negativa do trecho envidraçado , as placas foram fixadas no sentido  horizontal na estrutura  secundária. que  por sua vez era  presa à estrutura  metálica principal.

Nas faces norte e sul as chapas são brancas e possuem três metros de largura e um metro de altura. O sistema de fixação é o mesmo, porém os perfis de alumínio
são colados na chapa no sentido vertical e a estrutura secundária está fixada diretamente na parede de concreto. A distância entre a placa e o concreto é de 30 centímetros. Para maior segurança, as duas primeiras fileiras, a cerca de dois metros de altura das fachadas. receberam placas de dez milímetros. No restante. a espessura é de cinco milímetros. Como são fachadas ventiladas. o espaçamento entre placas é de oito milímetros e favorece a entrada e a saída do ar. além de permitir a absorção de impactos das arquibancadas e o movimento das placas nas fachadas.
Segundo Stefan Kichler Neto. diretor da GMM. as placas de Techlam revestiram 9 mil metros quadrados de área de fachada . A modulação com vãos variáveis originou placas de diversos tamanhos. cortadas em fábrica conforme projeto executivo. (Por Gilmara Gelinskd )
FIcha técnica
Obra:Arena Corinthians
Cliente:Sport Club Corinthians Paulista
Local:São Paulo,SP
Projeto:2010/2012
Conclusão da Obra:2015
Área do Terreno:198.000 metros quadrados
Área Construída:189.000 metros quadrados 

Equipe Técnica  
Arquiterura:Coutinho Diegues Cordeiro/DDG Arquitetura-Alexander Sirotheau,Andrea Pagano,Aníbal Coutinho,Antônio Paulo Cordeiro,Bruna Ferreira,Carolina Paulo,Celio Diniz,Cesar Pizzocaro,Eduardo Canellas,Eduardo Dezouzart,Henrique Sanson,Kanae Bamba,Lourenço Diegues,Luísa Gonçalves,Marcos Seriboni,Mariana Sundaus,Marina Ventura,Mário Capellaní,Paula Quintas,Pedro Durão,Pedro Pereira,Raíssa Rocha,Ricardo Cabeços,Rita Lima,Rosalia Camargo e Tiago Gualda.
Projeto de arquitetura de Interiores:Coutinho Diegres Cordeiro/DDG,Gensler,Miguel Pinto Guimarães
Construção:Odebrecht
Fachadas de Vidro:Jepracorp p/Grupo Galtier(integradora,executora e titular do contrato de empreitada das fachadas);Eleve Construções Metálicas(coautor do projeto de metálica,fabricação e instalação da estrutura metálical);Ceccato & Partners(projetos e cálculos da estrutura metálica,sistema de fachada e vidros)
Consultoria de fachadas e vidros:PCD Consultores - Paulo Duarte
Ensaios de cargas de vento das fachadas:Laboratório do Instituto Giordano (Itália)
Chapas porcelânicas:Levantina(fabricação);GMM(projeto executivo e instalação)
Projeto estrutural:escritório Werner Sobek(projeto estrutural e cálculos) 
Cobertura:Brafer Construções Metálicas e Alufer(Detalhamento,fabricação,pintura,transporte,pré-montagem e montagem das estruturas metálicas da cobertura)
Fabricação e montagem das esquadrias internas:T2G
Fachada Ventilada:GMM/Levantina(projeto e execução)
Ensaio em túnel de vento:Laboratório Wacker(Stuttgart,Alemanha)
Gramado:World Sports,SubAir,CRL
Certificação Leed:Cushman & Wakefield
Instalações:MBM,Johnson Controls,Jugend,Ofos e Osram(Projeto).Teman,Johnson Controls e Osram(Execução)
luminotecnia:TKondos,Carlos Fortes e Osram
Ar condicionado,ventilação e exaustão mecânicas e extração de fumaça:Teknika(projeto),Heating Cooling(execução)

Fornecedores

Vidros floats :AGC / Jepracorp -  Erwin Dobnig Galtier
Beneficiadora dos vidros floats:Sunglass
Sistema de fachada de estrutura de aço inoxidável e alumínio:Extrugasa
Circuito de led da fachada leste:Traxon
Sistema de guarda-corpos:Glass Vetro
Silicone estrututral:Dow Corning
Forros acústicos:OWA
Revestimento de cobertura:Firestone
Soluções tabulares:Vallourec
Fachadas ventiladas:Eliane Técnica
Pastilhas cerâmicas:Cerâmica Atlas
Louça Sanitária:Toto